domingo, 18 de setembro de 2011

O que é MÚSICA e o que não é!


Assistindo ao programa Semana do Jô, no final de semana, onde o entrevistado principal foi ninguém menos do que Roberto Carlos, fiquei pensando algo que me deixou muito triste... Será que meus filhos não saberão na vida deles o que é música de verdade?

Porque se depender do que temos ouvido nas rádios, coitadinhos!.. Roberto tocou em voz/violão a música Sentado à beira do caminho. Música que eu já ouvi dezenas de vezes, mas que pela primeira vez na vida, entendi. A letra pura não deixa dúvidas: trata-se de um coração partido.

Vem a chuva, molha o meu rosto e então eu choro tanto
minhas lágrimas e os pingos dessa chuva
se confundem com o meu pranto
Olho pra mim mesmo, me procuro e não encontro nada
sou um pobre resto de esperança à beira de uma estrada”

Sentado à beira do caminho – Roberto e Erasmo

Então tá! Agora vamos ler um trecho da música que rola no ipod do meu pré-adolescente (se é que podemos chamar isto de música né)

“vem pra ca com o seu tigrao
vo te dar muita pressao
quando eu vejo um popozao
rebolando no salao
nao consigo respirar
fico louco pra pegar
melhor tu se preparar
que o tigrao vai te ensinar
agora e ruim de tu fugir
que o tigrao vai te bulir
se tu corre por aqui
eu te pego logo ali
eu vou lutar ate o fim
vou trazer voce pra mim
e eu te chamo bem assim

uh so as cachorras
as preparadas
uh uh uh uh uh!
as popozudas
uh uh uh uh uh!
o baile todo
uh uh uh”

Só as cachorras – Bonde do Tigrão

Preciso dizer algo mais? Cabe a nós, que ainda temos a sorte de conhecer alguma cultura, apresentar à nova geração a música de verdade, então. Legião, Roberto, Djavan, Caetano, Marisa Monte, enfim, gente que entendeu que MÚSICA é algo a ser feito de forma inteligente, responsável, amorosa e acima de tudo respeitosa (respeito aqui relativo a mensagem que passam os músicos, aos que os ouvem). Renato Russo, por exemplo foi um gênio da contestação, da verdade nua e crua!

Não sei se vocês compreendem minha aflição (pois estou com preguiça de desenvolver raciocínio) mas, fica aqui meu registro de pensamentos agitados de uma mãe num domingo à noite...

Bjos, boa semana a todos.

2 comentários:

Ana Maria disse...

Ah,foi tão bom ver o Roberto no programa do Jô,ele estava tão descontraido!Tive a impressão que estávamos em casa batendo papo com um velho amigo(olha a tietagem!).
E concordo que nossos jovens têm que ter muita colaboração de nossa parte para que tenham chance de conhecer boa música,e tambem bons livros,filmes etc.Então vamos ajudar!

Bárbara Saldanha disse...

Bem lembrado!!! Viva a boa música!!! E com o advento da internet, tudo ficou mais acessível!!! Lembrei também da Adriana Calcanhoto, Beto Guedes, Maria Betânia, Elis Regina, Blitz, Capital, Ira, vichiiiii foram muitos que marcaram a nossa época!!! Amei o texto!!! Parabéns. Beijo.